Você precisa ir, se quiser ficar

0

Hoje fiz uma das coisas mais difíceis nesse tempo que a gente está junto (se é que “estar juntos” pode ser algo dito sobre nós dois). Quebrei nossos laços e te pedi para ir embora.

Juntei suas coisas em uma sacola e coloquei sua mala ao lado da porta para que não houvesse nenhuma chance de você deitar na cama e me atrair para o seu lado.

Não foi fácil. Mas você precisa ir. Está na hora de você ir embora porque eu me perdi nesse meio tempo. Me perdi em meio à realidade, imaginação e paranoias. Comecei a viver um relacionamento sozinha, achando que estava em dois. Criei fantasias na minha mente. Vivi nossos sonhos que só eu sonhei. Te vi olhar para o lado, desdenhar do meu coração, mas fingi que nada estava acontecendo. Quantas vezes a gente finge essa cegueira torpe para enganar um coração iludido? Quantas vezes esse mesmo coração aguenta o nó que fica nele cada vez que te imagino com outra?

Te ver partir foi uma das coisas mais difíceis que já fiz porque eu sei que, se houvesse vontade e reciprocidade, a gente seria um baita casal – daqueles que as pessoas iriam adorar ter por perto e não querer mais desgrudar. Mas não há. Nunca houve. E o nosso romance tão intenso, tão diferente, foi fugaz. Como uma tempestade. Marcou, mas foi embora.

No fim, a gente funciona melhor como bons amigos, que saem pra beber e se divertir. Falam umas besteiras, se entreolham quando estão bêbados e dançam até o chão sem se preocupar se alguém está olhando. Mais do que isso machuca. Porque você nunca conseguirá me dar o que eu preciso. O beijo de bom dia e o abraço durante a noite.

Você precisa ir porque eu quero que fique. Mas quero desintoxicar do que sinto por você e me dar a chance de encontrar relações verdadeiras por aí, sem pisar em ovos, sem ter medo de dizer o que sinto.

Quero aprender a te ver como vejo outros amigos, que contam sobre noitadas na balada e eu posso contar sobre os meus romances enrolados sem ninguém ficar constrangido. Sem esse volume preso na garganta denunciando que algo está fora do lugar. Quero te ver no final de semana e a gente continuar rindo sobre coisas idiotas sem lembrar que um dia nos machucamos. Sem que eu lembre como seu sorriso é foda para mim e como seu cheiro me faz perder a cabeça. Só rir despretensiosamente.

Desculpe. Está na hora de você partir. Mas volta. Volta quando for a hora. Quando for outra hora.

 


Texto meu publicado originalmente no blog Entre Todas as Coisas.

Compartilhe.

Deixe um comentário