Você está amando certo?

0

Acho que não existe pergunta mais piegas e menos respondida do que aquela que questiona o que é amor.

Todo mundo acha que sabe, todo mundo acha que sente e, por isso, parece ser tão óbvio o que esse negócio que a gente quer sentir a todo custo. Mas, então, por que quando acaba a queimação no estômago, a ansiedade para se ver, é tão difícil ficar?

Amor não é ansiedade para se ver logo. Apesar de ser tão bom sentir isso. Amor não é queimação no estômago, mesmo que ela seja importante. Isso tudo é paixão e empolgação. E sim, fazem parte da construção amorosa e são gostosas demais de sentir. Mas, com o tempo, a rotina e o velho costume, elas vão saindo e deixando espaço para outros sentimentos. 

Cuidar do outro. Respeitar. Se sentir seguro e, ao mesmo tempo, ter aquele medinho de perder. Se preocupar se comeu bem, se fez os exames que a médica pediu ou se estudou para a prova na faculdade. Querer ouvir sobre como o chefe estava insuportável naquele dia ou o quanto você está preocupado com as contas chegando e a grana acabando. Isso tudo é amor. 

Mas, sabe de uma coisa? Não existe um padrão sobre o que é amor. E isso porque cada um age e pensa de uma forma. Às vezes ele está lá, independentemente do tempo, mas a gente não percebeu. às vezes a queimação no estômago continua e aquela ansiedade em receber uma mensagem também. E isso também é amor. Porque amor cada um tem o seu. Ele se constrói. Mesmo quando ele é próprio e se expande. 

“É forte e por isso ele dura”

O que importa, mesmo, é o que a gente sente por dentro. Se quer ficar e realmente quer ficar, ou está ali, mas querendo ir embora? Se estar junto tem gosto amargo. Se não vê motivos em continuar com aquilo tudo. Essa é a hora de se preocupar sobre o que está acontecendo e realmente avaliar se faz sentido. 

Amor se constrói. Independentemente do tempo, independentemente do gênero. Amor é livre, mas quer ficar, e é exatamente isso o que transforma ele em um pilar tão consolidado. É forte e por isso ele dura e, às vezes, fica, mesmo quando não faz mais sentido ficar. 

Compartilhe.

Deixe um comentário