Saudosismo de nós.

2

Saudades dos nossos momentos ainda não vividos, dos nossos olhos nos olhos confidenciando reciprocamente os segredos mais íntimos, das nossas mãos se encontrando debaixo do edredom enquanto passava um filme qualquer na televisão, dos nossos sorrisos se multiplicando mesmo que sem nenhum motivo concreto para que eles se alargassem tanto.

Nós dois, ali, vindos de caminhos tão diferentes, machucados por dentro e descrentes de finais felizes. Pois é, nunca esperamos que o nosso final fosse feliz, até porque nem sabíamos direito quando houve um começo entre nós. Esperávamos que a felicidade transcendesse a cada dia nas nossas feições sinceras e serenas quando estávamos juntos, nos nossos passos sincronizados e tão contrários aos caminhos de todas as outras pessoas.

Saudades dos dias frios em que você me preparava um chocolate quente e aparecia com o seu café amargo para tomar enquanto conversávamos sobre um livro antigo que lemos algum dia sei lá quando. Lembro de como te fazia rir quando sentia o cheiro daquela coberta guardada no armário, escondida ali há tantos verões e pronta, finalmente, para participar do nosso mundo, nos observar e acolher em silêncio.

Engraçado como havíamos chegado ali, eu e você nos encontrando sem nenhum porquê, sem nenhuma explicação lógica. Apenas o tempo certo na hora certa para nos acudir de tantas outras decepções já vividas. Você me trouxe esse sorriso aqui de volta, e fazia tempo que eu não sentia essa brisa leve no rosto, essa sensação de que tudo está acontecendo da exata maneira como deve acontecer.

Tenho saudades, saudades de verdade do seu abraço quente em que eu me encaixava com nossos tamanhos ideais, dos nossos beijos tímidos e tantas outras vezes, descontrolados e incontroláveis. Da sua pele macia em que eu passava os dedos lentamente para sentir seus milímetros, e da sua barba rala enroscando no meu cabelo, e nos fazendo, novamente, rir daquele jeito gostoso que só a gente sabia.

Tenho saudade, principalmente porque nada disso ainda aconteceu. Tenho saudades, porque te imaginei e te desejei todos os dias da minha vida, mas você sequer existe ou me descobriu. Mas estou aqui, saudosa, destes momento que não vivi, aguardando para que você venha, enfim, torná-los reais.

Imagem

Compartilhe.

2 Comentários

Deixe um comentário