Por que a gente insiste no que não vai dar certo?

0

Por que a gente continua mandando mensagem mesmo sem receber respostas? Por que a gente insiste em fazer planos sozinho? Por que continuamos cavando buracos gigantes a procura de interesse onde claramente só tem o famoso “tanto faz”? O famoso duplo check azul na janela da conversa e uma risadinha sem graça depois de algumas horas sem responder?

É. Acho que talvez essas perguntas não tenham uma resposta pronta e, às vezes, no fundo, não tem exista mesmo nenhuma explicação razoável. A verdade é que a gente tá fadado a insistir em relações sem futuro desde sempre, mesmo que magoe, mesmo que dê muito trabalho, mesmo que não traga nada de bom pra nossa vida. A gente respira de pequenos atos de atenção que aparecem uma vez ou outra. É o combustível para que a nossa mente ainda acredite que pode sim reverter o jogo e sair por cima. Mas a que custo?

Acho que todo mundo gosta de desafios, mostrar que pode sim conquistar uma pessoa, que pode receber um convite pra sair ou um simples sinal de interesse. E todo esse afago em nosso ego é só uma ilusão de que estamos felizes, que está tudo bem, que você não está pensando nisso o tempo todo, que não fica se remoendo. Mas uma hora cansa. E sabe por quê?

Porque mesmo que rolem alguns beijos, uma transa no meio da semana, o desinteresse vai reaparecer uma hora. E, em outro momento, a gente vai ficar com preguiça de continuar nesse jogo de insistência. Vai querer também ser bajulado e não vai receber nada em troca. Vai ficar inseguro. Não vai se gostar suficiente. Aliás, nada vai ser suficiente. E pra quê tanto esforço por um amor meia boca?

A gente tá sempre criando expectativa sobre coisas que claramente não vão vingar. E ficamos naquele lenga-lenga cheio de fantasias que nunca vão se realizar.

Calma, eu não estou falando que a gente não deva insistir em amores que acreditamos. Mas, pense bem, qual o motivo de continuar insistindo em uma relação onde só você está realmente afim de ter um futuro? Qual o motivo de se manter presente para alguém que simplesmente é indiferente a isso? E não adianta reclamar no twitter. Não adianta fazer textão no facebook. Não adianta procurar promessa no site do João Bidu. Se não for pra ser, não vai ser.

É claro que a outra parte também tem a sua parcela de responsabilidade. Quem não quer, não precisa ficar levando com a barriga, não precisa ficar colocando ninguém de stand by. Isso é chato. Isso é, além de chato, uma sacanagem. Se não quer, diga. Se quer, fique. Se não, vá embora e desempata esse jogo. Ou fode ou sai de cima. É isso.

E meu bem, não precisa se colocar lá no chão por causa de ninguém. Não adianta provar pra fulano ou ciclano que você pode conseguir o que quer. Não precisa (mesmo!) mudar quem você é ou fingir que gosta de azeitona se você odeia. Ir no jogo de futebol se você acha um porre. Quando for pra ser, vai aparecer o esquisito perfeito que se encaixa em seus defeitos e te completa em suas qualidades. 

A vida é muito mais do que crushs não correspondidos. É mais amor que a gente consegue ter por nós mesmos e bom senso de saber a hora de deixar pra lá. Corresponder indiferença é ir embora.

Você não é pior que ninguém por causa disso. A vida é bonita porque é cheia de possibilidades – e não apenas resumida a um @ que não deu certo. E, uma hora ou outra, vai dar certo. Você com alguém ou só consigo mesmo.

Acredite sim no amor, mas priorize o seu próprio.

Compartilhe.

Deixe um comentário