Liberte-se, mulher.

0

Se dê o direito de ser uma mulher livre de verdade, livre de seus próprios preconceitos e das suposições que te cercam, que te enfiaram goela abaixo desde quando você era apenas uma garotinha.

Não acredite nessa história de que, se você resolver fazer tudo o que te der na telha para conquistar outra pessoa, não vão te valorizar. Esse negócio de não receber o seu valor só acontecerá de verdade quando você deixar de se amar mais, de se colocar em primeiro lugar. Não caia no conto de que a gente não pode ser orgulhoso, porque, às vezes, o orgulho é o que nos dá suporte para não fazer mais nenhum papel de trouxa.

Se dê a liberdade de sair na rua sem um pingo de maquiagem, só porque você está afim, independente de ter sido desafiada no facebook ou não. A nossa beleza, de verdade, apesar de parecer um pouco clichê, não está nos vários produtos que passamos para tentar esconder nossos defeitos, porque isso saí com a água que lava o nosso rosto.

Os nossos defeitos, de verdade, estarão sempre conosco enquanto nós mesmos não decidirmos jogar eles fora. E as nossas qualidades são aquelas que fazem com que as pessoas queiram, realmente, estar ao nosso lado, mesmo que sem nenhuma pretensão a mais. Ninguém muda por outra pessoa, e nem nós mesmos. As mudanças podem sim ocorrer, mas somente quando tiverem nos incomodando. Não encare isso como egoísmo ou excesso de ego. Nós somos seres humanos, cheios de defeitos e qualidades, e devemos nos assumir assim, como um pacote completo. E dessa mesma forma, a gente aceita outra pessoa em nossas vidas, com seu pacote completo de atributos e coisas que nos incomodam, mas que são mínimas quando comparadas com o todo.

Fique à vontade para aproveitar sua vida, os seus dias, e fazer deles o que você quiser. Não se preocupe com o que podem ou não achar se você sair na rua de chinelo, ou com um coque mal feito no alto da cabeça. Sentir-se livre é essencial para começar a cogitar em encontrar uma pessoa que esteja ao seu lado. Ninguém gosta de viver sempre embaixo de desconfiança ou de limitações. Quando embarcamos em um relacionamento, os limites são criados pelo respeito que temos um com o outro e pela vontade de estar junto de verdade, não com troca e senhas de redes sociais ou chiliques rotineiros.

Meninas, mulher, ou como quer que você se sinta: tenha coragem de viver de verdade, de se mostrar, de fazer o que você acha que é certo sem medo de julgamentos supérfluos. Seja mãe ou não, empresária, ou skatista, dona de casa, viciada em trabalho, alta, magra, baixa, gorda, hétero, homo, bi, romântica, desencanada ou de qualquer outra maneira que você ainda não tenha encontrado um rótulo no mercado para chamar de seu. Seja você, e seja livre para ser você de verdade em meio às tantas outras coisas comuns e iguais que vemos todos os dias. Seja livre para ser o que quiser, sempre.

Compartilhe.

Deixe um comentário