eu não sei lidar com a vida

0

Nunca foi fácil conseguir admitir que essa pose de quem consegue lidar com tudo e resolver qualquer problema que aparecesse era só mais uma tentativa de criar uma armadura à minha volta que me fosse capaz de me proteger dos meus medos que existem por aí. A verdade, porém, é que não é do lado de fora que vivem meus demônios. E é essa luta que eu preciso enfrentar todos os dias.

Queria poder viver uma vida que se descrevesse em um livro, daqueles que a gente torce pela mocinha e termina a leitura querendo mais. Seria bom ser uma pessoa segura, forte e certa de todos os passos, que tivesse certeza das suas escolhas e dos rumos da vida. Gostaria de não sentir as coisas na intensidade gritante que eu sinto, como se tudo fosse extremamente perturbador.

A minha vontade maior é ser capaz de conseguir explicar o que se passa aqui dentro para quem só consegue me ver do lado de fora. Mas como poderia fazer isso se, na maioria das vezes, eu também não consigo me entender?

É difícil demais viver em uma inconstância. E já pensei ser TPM, ser a crise dos 25 anos ou inferno astral, mas o que fazer quando essa insegurança nunca passa? A verdade é que às vezes eu acordo bem e me sentindo pronta para qualquer batalha, mas a maioria das vezes eu só queria ficar na minha casa, deitada no meu quarto – por mais clichê que isso possa parecer. A pior parte é que, por sentir muito, às vezes não sinto nada. Vejo meus dias passando, as coisas acontecendo e continuo aqui.

É horrível estar inerte. É horrível estar vazia por dentro. É horrível não conseguir mais sentir as pessoas, as coisas, as paisagens bonitas, as músicas profundas. É horrível estar nessa situação, de verdade. E é mais horrível ainda não ter coragem de falar para ninguém, com medo do que possam pensar e ficar tanto tempo em uma atuação sem fim de quem está sempre com um sorriso no rosto, com curtidas nas fotos de pessoas alegres, de risadas sem fim, de quem precisa manter as pessoas firmes, mesmo que lhe falte firmeza em sua própria vida.

É contra os inimigos que criei dentro de mim que luto todos os dias, tentando mostrar, de alguma forma, o que se passa por aqui, mesmo para quem não faz ideia sobre nada ao meu respeito. É para aprender a lidar com os tombos da vida, com os amores mal resolvidos, com as amizades que terminaram sem nenhuna explicação, com os foras que levei, com as incertezas no trabalho, com as angústias pelos planos que furaram, por tudo isso é tanto mais, que eu ainda estou aqui.

E eu vou assim. E vou lutando e levando cada dia de uma vez na esperança de que tudo se resolva alguma coisa e eu acorde sabendo que eu estou exatamente no lugar que deveria estar. Só mais um dia. Um de cada vez. Eu sei que não estou sozinha porque ainda vejo outros caminhando ao meu lado e isso me traz gás para seguir.

E seguirei. Estamos juntos e juntos iremos.


Texto meu publicado originalmente no Entre Todas as Coisas.

Compartilhe.

Deixe um comentário