Caos Interno

1

Te peço desculpas por ser assim. Não sei exatamente se isso é de fato o que tem que ser dito, nem sei se devo desculpas por não conseguir mudar. Mas a gente não muda da noite para o dia, não é mesmo? Aliás, acho que, no fundo mesmo, ninguém nunca muda, só jogamos a poeira pra debaixo do tapete e escondemos a sujeira dos nossos próprios olhos.

Mas sou assim e essa sou eu. Me perco em meus pensamentos e soluções para problemas que nem mesmo chegaram a acontecer. Acordo radiante em um dia e não quero sair da cama no outro. Te odeio em alguns dias e espero atentamente que em outros você possa me falar um “oi” que seja. E isso é ruim? Sim, é ruim. É ruim demais pra mim.

Porque no fundo, eu peço desculpas a mim mesmo, porque gosto mais de estar com você do que estar apenas comigo. Por não ter aprendido a ser uma pessoa toda descolada e autosuficiente mesmo depois de tantos tombos-inclusive aqueles que você me ajudou a tomar. De não conseguir controlar alguns sentimentos e outras coisas que nem sei o que são e que se passam aqui dentro. Por essa minha mania incontrolável de procurar pêlo em ovo, como um romancista do século XIX, que se perdia entre amores, problemas e caos interno.

Acho que é essa palavra. Eu não gosto de ser assim, mas sou um caos em meu próprio mundo. Ainda não sei como fazer para organizar tanta coisa que aparece dessa forma, sem mais nem menos, sem nenhum motivo específico.

E por isso eu também te peço desculpas. Por me sentir longe dos meus tormentos quando você me abraça desse seu jeito como se nunca mais fosse soltar. Por te trazer, ou pelo menos tentar traduzir, essas coisas todas que aparecem inevitavelmente e desmotivadamente dentro de mim. Porque você não merece nem uma partezinha que seja deste presente de grego. E eu também não mereço, mas a verdade é que não sei mais como escapar.

Mas assim, espero que me entenda, e me ouça nos meus melhores momentos, que continue me abraçando e me protegendo de mim mesma nesses tempos. Que não me deixe ir embora por aí nesse caminho de pensamentos e suposições tão inconsistentes. Que me aceite assim, mas que me ajude a dar o meu próprio start na minha mutação consciente. Aceite aquilo que tenho a lhe oferecer. Aceite o meu caos sem fim.

wpid-wp-1412370605660

Compartilhe.

1 comentário

Deixe um comentário