A fênix diária.

0

Nunca entendi direito essa comparação que as pessoas, no geral, gostam de fazer com as fênix – aquele pássaro lendário que a gente sempre fica em dúvida, quando criança, se existem mesmo ou não. Na mitologia, essa ave quando morre se transforma em fogo, e das cinzas nasce, então, uma nova fênix. Aparentemente, a ideia de ter a possibilidade de renascer e dar a volta por cima quando tudo está perdido é o que mais nos atrai nessa imagem, e nos faz querer ser também um pouco fênix no dia a dia. Mas, de uns tempos para cá eu ando duvidando sobre um detalhe da história: precisamos, realmente, virar pó, para que possamos renascer?

Não sei se é otimismo demais, podem chamar do que for, mas eu ainda sou da opinião que a gente renasce todos os dias, todas as vezes que nos deparamos com dificuldades, todas as vezes que nossos desejos não são realizados, todas as vezes que alguém que dar uma rasteira na gente, todas as vezes que recebemos um sorriso despretensioso ao atravessar a rua e todas as vezes que acordamos para um novo dia.

Não faço parte do grupo de pessoas que só conseguem enxergar o renascimento quando chegamos ao fundo do poço. É claro que superar-se é uma das melhores sensações que existem, porém, esse é só mais um dos motivos que renascemos em nossas vidas. Quando acordamos para mais um dia renascemos com o desejo e vontade de conseguirmos alcançar nossos objetivos.

Cada dia que acordamos é uma nova chance para que a gente consiga dar significado à nossa vida, aos nosso dias, e fazer com que nossa presença aqui seja marcada por sonhos transformados em realidade, por memórias recheadas por admiração.

Viver é fácil, mas renascer todos os dias, como uma fênix, como nós mesmos, é só para quem está preparado para viver em toda sua completude. Aguardar o pó chegar é burrice quando se pode levantar todos os dias e subir degraus cada vez mais altos.

Imagem

Compartilhe.

Deixe um comentário